Escolha uma Página

Adquirir um carro novo exige preparação e organização financeira, porém a compra não deve ser vista como um investimento, justamente porque os veículos sofrem uma grande desvalorização já na hora que saem da garagem da concessionária.

Mesmo com essa desvalorização sofrida por todos os veículos, sejam eles carros, motos, caminhonetes, caminhões, etc, existem certos pontos que você pode analisar antes de adquirir o seu automóvel e  que vão minimizar a sua perda de valor.

Separamos alguns itens que vão fazer a diferença na hora de revender seu importado, seja atenuando a diminuição do valor ou mesmo auxiliando para que o veículo não fique muito tempo parado no mercado, confira!

Os novos, seminovos e usados

Os veículos têm sua classificação de acordo com o tempo em que saem da garagem, são elas:

  • Novos: são os veículos que ainda estão na concessionária.
  • Seminovos: o carro deve ter no máximo dois anos de uso e um único dono.
  • Usados: teoricamente, acima de dois anos e com mais de um dono o veículo é considerado usado.

Mesmo que sejam uma base, o que classifica o estado de um carro não é uma regra e pode variar. Um carro com um ano de vida, mas que rodou 60 mil km pode ser considerado usado. Assim como um carro com mais de dois anos, mas que continua impecável e com pouca quilometragem pode alcançar o valor de um seminovo.

Carro zero e o dono único

Quando se adquire um veículo zero quilômetro, toda a parte de mecânica e de manutenção tende a ser mais fácil e menos problemática, além disso a garantia de fábrica, que pode variar entre 5 anos, cobre os problemas que o carro possa vir a enfrentar.

No mundo da revenda, um importado seminovo, tendo originalmente os 5 anos de garantia, que entra no mercado 2 anos após sua compra ainda terá 3 anos de garantia de fábrica. Vendê-lo será mais fácil, assim como vai haver diferença no valor.

Algumas peças do veículo, mesmo depois do prazo de garantia geral da fábrica, podem manter a garantia por mais algum tempo. Vai revender o carro? Lembre de ressaltar essas garantias, caso existam.

Além disso, carros que possuíam um único dono também são mais visados. Isso não quer dizer que um veículo que possui mais de um dono seja ruim ou menos conservado, pode até mesmo ser mais conservado do que um veículo que possui um único dono e que não soube cuidar dele. Porém, em uma primeira vista, o “dono único” pode incentivar o tempo de permanência do seu veículo na garagem.

Quilometragem

A quilometragem vai influenciar bastante na hora da venda, uma vez que um carro que rodou muito na estrada, por via de regra, utilizou mais da mecânica geral do veículo e naturalmente vai precisar de revisões, substituição de peças que vão se desgastando com o tempo, tais como pneus, pastilhas de freio, amortecedores, etc.

Equipamentos de fábrica

Com o passar do tempo é comum que a tecnologia aumente e se torne mais acessível a todos, veiculos seminovos e usados que entram no mercado sem itens que podem ser considerados desejáveis, tais como central multimídia, trava elétrica, câmbio automático e até mesmo itens como o painel solar.

Quando entram novamente no mercado, esses veículos que não possuem itens e diferenciais como os citados acima vão ter uma desvalorização maior, assim como uma menor procura no mercado, pois entende-se que se o novo dono quiser estas coisas ele precisará instalar e adaptar o veículo.

Da mesma forma, um veículo com equipamentos de conforto e segurança tende a sofrer menos a desvalorização e vai ficar menos tempo no mercado.

100% original

O quanto menos mudanças houverem no carro, sejam elas mudanças estéticas ou no próprio motor, mais valorizado ele será no mercado. Essas mudanças podem afetar mais do que apenas a aparência do automóvel.

Um rebaixamento, por exemplo, pode alterar a estrutura do veículo, assim como os danos sofridos pelas lombadas e irregularidades no asfalto. Lembre também que cores diferentes (amarelo, verde, azul, rosa), assim como adesivos de personalização, além de não valorizar o carro, também podem fazer com que seu valor caia, além da permanência no mercado.

Revisões e o estado do carro

Danos tanto na parte estética quanto na mecânica vão fazer com que o valor do automóvel caia drasticamente. Esse item é unicamente responsabilidade do dono do veículo, cuidar para que as manutençòes e revisões estejam sempre em dia, assim como a substituição necessárias dos itens.

Seu veículo tem algum problema? Conserte antes de vendê-lo. Uma dica: não deixe de consertar pequenas batidas, ou mesmo itens como o indicador de gasolina que quebrou, quando eles de fato quebram. Ficar deixando para depois só vai fazer com que o valor final dos consertos fique muito alto, isso se as partes quebradas não acabaram danificando outras partes.

O importado desvaloriza mais?

O importado tende a ter uma maior desvalorização no mercado, não por quesitos de qualidade, uma vez que o padrão do importado pode ser até mesmo superior ao nacional. A desvalorização se dá na dificuldade de encontrar as peças necessárias para a substituição.

Porém, esse cenário tem se invertido nos últimos anos com o e-commerce de peças automotivas. Desta forma, conseguir as partes necessárias para a substituição tem se tornado muito mais fácil.

Aqui na Armazém Auto Peças, por exemplo, temos mais de 2000 itens disponíveis online para o seu importado. Precisa de algo e não encontrou, é só entrar em contato com a gente!